Major da PM é morto na porta de casa três anos depois de matar assaltante no mesmo local

19 de fevereiro de 2014 07:220 comentários

A polícia está mobilizada atrás dos assassinos do major PM da reserva, Claudemir Gasparetto, morto com cinco tiros de pistola quando chegava em casa, na noite desta terça-feira(18), por volta das 21hs, no bairro Cohab Canellas, em Várzea Grande.

Gasparetto teria sido surpreendido por homens em um Ford/Ecosport de cor vermelha. Primeiro os bandidos teriam emparelhado ao carro do oficial. O Ecosport estaria ocupado por pelo menos três homens, dois atiram simultaneamente.

O oficial chegou a ser encaminhado ao Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande, mas não resistiu aos ferimentos e morreu quando recebia os primeiros atendimentos. Ele recebeu tiros de dois tipos de pistola, ponto 40 e 9 milímetros.

A principal hipótese é de execução, por vingança. Há exatamente três anos, na madrugada de 12 de fevereiro de 2011, o major Gaspareto matou um assaltante e feriu dois durante uma tentativa de assalto em sua residência, no mesmo bairro.

Na ocasião, dois bandidos abordaram a filha do major quando ela chegava em casa. Ele saiu da residência e se envolveu numa luta corporal, com troca de tiros, matando o assaltante Djon Robertt Luna de Carvalho, de 24 anos.

Os cúmplices de Djon, Ricardo da Silva Rodrigues, de 28, e Jailton Oliveira Arruda, de 19, foram baleados no braço e perna, respectivamente, sem gravidade.

O oficial atuou na segurança do então governador Blairo Maggi, hoje senador por Mato Grosso. O filho dele também é oficial da PMMT, ocupa o posto de tenente e está lotado no 24º Batalhão da PM, no bairro São João Del Rey, em Cuiabá.

major

Claudemir Gasparetto, morto a tiros na morta de casa

 

Tags:

Comentar


Trackbacks