Najila dá duas versões sobre segundo encontro com Neymar em depoimento à polícia de SP

No depoimento que deu à Polícia Civil de São Paulo na sexta-feira (7), a modelo Najila Trindade, que acusa o jogador Neymar de estupro e agressão, deu duas versões diferentes sobre o segundo encontro que teve com o jogador em Paris, no dia seguinte em que teria ocorrido o sexo não consensual.

Na primeira, disse que gravou todo o encontro. Em seguida, mudou a versão, e disse ter desligado o celular, com medo de que Neymar percebesse.

Após o depoimento de seis horas, Najila passou mal e deixou a 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Paulo carregada pelo advogado. A advogada de Neymar disse que o jogador deve prestar depoimento na próxima semana.

Conteúdo do depoimento

A TV Globo teve acesso ao conteúdo do depoimento. Najila disse que seguia Neymar em uma rede social e que, em fevereiro, fizeram contato e trocaram telefone. Em maio, combinaram a viagem dela a Paris – as passagens aéreas e o hotel foram pagos pelo jogador.

A modelo reiterou que Neymar foi ao hotel lhe encontrar e que os dois se beijaram e o jogador começou a dar tapas. Ela disse que não falou nada, mas que, minutos depois, percebeu que ele estava mais agressivo e ela reclamou.

Segundo Najila, neste momento, ela perguntou a ele se tinha camisinha. Neymar respondeu que não e ela disse que achava melhor eles ficarem “só na pegação”.

Najila contou que o jogador a segurou com força pelo quadril e que fez sexo com ela sem seu consentimento.

Já sobre o segundo encontro, em que ela gravou um vídeo com um celular, a modelo foi confusa e deu duas versões diferentes sobre a situação.

Na primeira, disse que deixou o celular ligado o tempo todo para gravar a conversa que teria com Neymar. De acordo com policiais que ouviram o depoimento, Najila contou que atraiu o jogador até o hotel porque estava revoltada pelo que tinha acontecido e queria bater nele.

Duas versões

Mas, quando os policiais foram transcrever este trecho do depoimento, ela voltou atrás – disse que deixou o celular ligado por alguns minutos e desligou porque tinha medo de ser descoberta. Ainda de acordo com a polícia, a mulher foi contraditória sobre os horários da chegada e da saída do jogador no hotel.

A íntegra do vídeo, segundo ela, estava em um tablet que ela diz que foi furtado de seu apartamento, que teria sido arrombado na quinta-feira (6).

Fonte: g1.globo.com
Foto: Amanda Perobelli/Reuters  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *