Paixão proibida, força, positividade, amor e protagonismo feminino. Estão são ingredientes da nova novela das 9, na Rede Clube, A Dona do Pedaço. A trama que estreou recente

Paixão proibida, força, positividade, amor e protagonismo feminino. Estão são ingredientes da nova novela das 9, na Rede Clube, A Dona do Pedaço. A trama que estreou recentemente enaltece o poder feminino por meio da trajetória de Maria da Paz (Juliana Paes), uma jovem humilde que aprendeu a fazer bolos com a avó Dulce (Fernanda Montenegro) e daí cultivou um amor pela cozinha que lhe tornou uma vencedora. E uma história parecida como essa também encanta a todos no Piauí.

Da ficção para a realidade, o que não faltam no Brasil são mulheres batalhadoras. Em Teresina, por exemplo, há uma piauiense que, assim como Maria da Paz, utilizou o dom de fazer bolos para ganhar a vida. A confeiteira Zezita Ribeiro e sua filha Chyntia compartilham uma história de amor e empreendedorismo na culinária.

Tudo começou com uma caixa de cupcakes há oito anos e desde então o trabalho dessas duas só vem crescendo.

“A cozinha sempre foi o melhor lugar pra estar. Onde posso fazer algo que agrada o paladar e viver a delícia que é cozinhar para as pessoas que a gente ama”, afirma a confeiteira Zezita.

A história dela na começou ainda na infância quando passava bastante tempo na casa tia, vendo-a cozinhar. “Minha mãe era cabelereira e costureira, com isso passávamos muito tempo na casa de familiares e ali eu via em minha tia algo que cativava muito, o amor por cozinhar. Eu amava ver minha tia cozinha, era muito gostoso aquele cheiro na casa toda e daí comecei a encantar e amar a cozinha”.

Já adulta, Zezita ganhou de presente do marido um livro de receitas, um curso feito à distância que lhe fez ter prática em fazer bolos, doces e amar mais a culinária. Assim, o que antes era só prazer se tornou também uma forma de ganhar dinheiro.

“Foi em minha segunda gravidez que precisei fazer biscoitos para ganhar uma renda extra e ajudar em casa. E logo depois percebi o quanto poderia ser bom trabalhar com doces e comida, daí comecei a trabalhar em restaurantes, padarias”.

Essa paixão de Zezita pela cozinha também contagiou sua filha Chyntia Ribeiro.

“Esse amor pela confeitaria a mamãe nos passou desde criança. Ela chamava todos os filhos para cozinhar com ela. Eu gostava da parte doce, meus irmãos da salgada. Ou seja, na parte da sobremesa sempre era comigo. E essa afinidade eu não imaginava que iria se tornar uma profissão. Afinal, me formei em administração e sempre imaginei que ia trabalhar com cálculos e depois de formada vi a oportunidade de abrir um negócio e passamos a usar todo meu conhecimento técnico e desde então não paramos mais”, conta.

No trabalho Zezita faz as massas enquanto a filha Chyntia fica com a parte decorativa. “É um trabalho conjunto. Sem a massa dela, meu bolo não dá certo”, comenta Chyntia.

“É como se eu entregasse a ela um quadro para ela desenhar”, completa Zezita.

“Isso é muito mais que um sustento, é trabalho em que amamos fazer e saber que levamos sabor para as pessoas”, finaliza Chyntia.

Fonte: gshow.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *